Tags: O Sócio: Marcus Lemonis ensina como ganhar dinheiro - O Sócio, canal History - Quebrando paradigmas com Marcos Lemonis  - Como resolver para sempre todos os seus problemas de dinheiro -  Poder Pessoal. Vamos ganhar dinheiro

 

 

"EM UM NEGÓCIO O DINHEIRO NUNCA DEVE SER  A FINALIDADE, MAS A CONSEQUÊNCIA DA FINALIDADE DE UM NEGÓCIO." 

   -   MARCUS LEMONIS (o cara sentado no trono de dinheiro aí em cima, apresentador do programa  The Profit, nos EUA [O SÓCIO, aqui no Brasil, exibido no canal History].

 

 

QUEBRANDO PARADIGMAS COM MARCUS LEMONIS

Montagem do texto: Wilson Mello Franco

 

Marcus Lemonis é o apresentador do programa THE PROFIT [O LUCRO] que no Brasil recebeu o nome de O SÓCIO, atualmente (agosto de 2015) sendo exibido no canal History.

 

Nascido em 16 de novembro de 1973 em Beirute, Líbano, descendente de gregos, Lemonis chegou aos EUA com 9 meses de idade. Aos 12 anos já é dono de seu próprio negócio de aparador de grama, tendo 10 moleques trabalhando para ele, e tirava $1,000 por semana. Aos 22 já era deputado estadual na Flórida.

 

Algum tempo depois Lemonis se tornou sócio da AutoNation, a maior revendedora de carros dos EUA, e rapidamente subiu a escada corporativa. Então conheceu Lee Iacocca, o salvador da montadora Chrysler, que recomendou que ele deixasse o negócio dos carros e se dedicasse ao negócio dos veículos recreativos (trailers). A princípio Lemonis hesitou, mas seguiu o conselho de Iacocca, e cinco anos depois era o maior empreendedor do ramo de veículos recreativos dos EUA (Camping World), chegando a ganhar uma homenagem como Empreendedor do Ano.   

 

É interessante frisar que esta fase ocorreu nos anos 2008-2009, e Lemonis diz que foram os mais difíceis de sua vida. “O negócio dos VRs (Veículos Recreativos) não era o lugar para se estar, o negócios dos carros estava dando prejuízo, e o mercado imobiliário estava implodindo. Misture os dois e isso é o negócio dos VRs. Foi então que aprendi sobrevivência. Aprendi como fazer as coisas funcionarem. Realmente acredito que peguei todo o jeito da coisa. Aprendi como planejar bem as coisas, e a ter conversações difíceis. Aprendi como salvar um negócio", diz Lemonis.

 

Hoje, um self-made bilionário, e autoproclamado um “viciado em negócios”, dedica-se a consertar empresas que estão fracassando através do programa THE PROFIT (O SÓCIO, aqui no Brasil), no qual ele se torna sócio da empresa que requisita sua intervenção para tirá-la do buraco. O slogan do programa é:

 

Meus milhões salvarão o seu negócio que está morrendo. Mas isso vai custar você.

 

Esse “custar você” significa que o dono do negócio, em troca da injeção de certa quantia que vai levantar a Empresa, terá que entregar o comando de seu negócio a Lemonis, e aceitar tudo o que ele propuser para salvá-lo, por mais paradoxal que pareça a mudança que ele propuser. E essa mudança vai desde de uma arrumação num balcão mostruário e alteração em fórmulas de produtos,  até - e principalmente - o sistema administrativo (principalmente resolução de problemas de relacionamentos e remodelação de funções), passando, muitas vezes, por reformas no imóvel, compras de novos equipamentos, repaginação de marcas, mudança de local.  "Tem que confiar no PROCESSO", diz Lemonis.

 

Isso, naturalmente, provoca um choque de egos (o objetivo do programa é justamente esse, mostrar a sagacidade humana sendo desmontada por alguém mais sagaz ainda), e o proprietário se vê obrigado a “descer das tamancas” ou, “subir em cima do seu ego e se lançar lá de cima” (como diria o papa Francisco). E Lemonis é um magistral especialista em fazer as pessoas descerem de cima de seu ego.

 

O resultado, no final, são pessoas sorrindo, tanto os proprietários quanto seus empregados, e ele  então vê seu investimento multiplicado.

 

Nem sempre, claro, o final é feliz... Por causa de seus egos, e do apego, as pessoas são capazes de trapacear, mentir, quebrar acordos e ir na contramão do que ele acredita vai sanear a empresa, o que Lemonis considera falta de caráter, então a sociedade é desfeita e ele "puxa o carro". Neste caso ele "perde" algum investimento, como por exemplo,o dinheiro gasto em melhorias físicas na empresa,  mas não o cheque, que é sua cota de participação de ingresso de sócio na empresa, e normalmente seria usado para sanar as dívidas da empresa. Esta parte não é explicada, mas parece que o cheque fica em posse de seu advogado, e só é efetivamente liberado mais tarde ao se tornar um sócio efetivo após ter passado por cima de todas as eventuais trapaças. 

 

Na verdade, financeiramente ele nunca perde, pois o investimento extra (reforma no imóvel, compra de maquinário, por exemplo) funcionaria como uma espécie de cachê ao dono do negócio pela produção do programa exibido na CNBC. O que ele perde é a aposta na jogada. Afinal, não se pode ganhar todas!

 

"Você tem que saber quando perdeu a jogada, coloque suas cartas em cima da mesa e vá embora, e compense isso na próxima mão", diz Lemonis.

 

Essa frase foi dita no final do episódio do salvamento de um loja de criação de brinquedos (que tinha $1,1 mi em dívidas), em que Marcus encontrou dois irmãos cascas-duras (mais o pai deles) que se recusaram a associar seus produtos (carrinhos luminosos que corriam em uma pista em looping) ao poderoso nome chamariz da NASCAR, multibilionária empresa de corridas de carros, e com a qual Lemonis mantém negócios através de sua empresa a Camping World, que patrocina um dos três eventos de corridas de stock car promovidos pela NASCAR, a Truck Series. Os irmãos já haviam dito a Lemonis que se recusavam a fazer isso, e mesmo assim ele os levou ao escritório da Nascar, em Nova York, onde os irmãos não somente menosprezaram completamente uma eventual parceria, como ainda reiteraram o que já haviam anteriormente dito da Nascar a Lemonis, o que o deixou extremamente constrangido e totalmente puto da vida. Os irmãos se deliciaram! E disseram depois: Preferimos ficar com as dívidas a você mandando em nossa empresa! Bom, o próprio Marcus admitiu que os carrinhos tinham potencial para, sozinhos, tirarem a empresa do buraco, com uma boa promoção. E não precisariam da NASCAR para isso. Ao menos no conceitos deles, não!   

 

Outra coisa que Marcos fica puto da vida é quando às vezes seus sócios querem parecer úteis, tomando decisões unilaterais, quando, na verdade, estão atrapalhando o processo de recuperação da empresa proposto por ele. Afinal, a condição sine qua non é ele no comando! E esse é o soco no estômago na maioria dos ciumentos proprietários.  

 

Atualmente Lemonis supervisiona 6 mil funcionário e seus negócios geram uma receita anual de US$ 3 bi. Ele atribui parte de seu sucesso às pessoas das quais se cercou, mais espertas do que ele e mais criativas, em suas próprias palavras.

 



Os conselhos que ele dá para quem quer começar seu pequeno negócio é:


a) Primeiro trabalhe para alguém que é muito bom no que faz, escute e aprenda com ele. É preciso primeiro fazer capital com dinheiro vivo para ter margem de sobrevivência. Muitas pessoas têm boas ideias, mas não a realizam porque não têm dinheiro vivo para margem de sobrevivência.


b) Espere perder dinheiro durante pelo menos dois anos. E é por isso que você deve ter dinheiro vivo em caixa para uma margem de sobrevivência.


c) É um erro crítico você se apaixonar por suas ideias. Renda-se ao fato de que nem toda ideia é uma boa ideia.

Esse é um dos pontos mais interessantes nos episódios reais de O SÓCIO, quando Lemonis pega pessoas muito mais apaixonadas pelo seu negócio do que pelo lucro que ele gera, como foi o caso da revendedora de carros Athans (veja um trailer mais abaixo).

Para quem vai para uma entrevista de emprego

 

Lemonis recomenda que a pessoa seja ela mesma, tenha princípios, aprenda a ser adaptativa, a não ter medo, e a não transigir com aquilo que vai contra o que ela é.

 

 

28 CITAÇÕES DE MARCUS LEMONIS

 

"O CLIENTE NÃO É O NÚMERO 1"

 

2. É um privilégio, e não um direito, possuir um negócio.

 

3. Toda empresa na América que é bem sucedida hoje começou como uma ideia na garagem de alguém.

 

4. As empresas são baseadas em relacionamentos e relacionamentos são baseados em pessoas.

 

5. Mantenha-se focado, trabalhe duro, conheça seus números, e seja disciplinado. Se você fizer essas coisas e cuidar de seu pessoal, a verossimilhança de ser bem sucedido é muito, muito alta.

 

6. Não renuncie a quem você é.

 

7. Você tem que tratar as pessoas com a mesma quantidade de respeito e decoro que todos nós queremos para nós mesmos; nós apenas temos diferentes empregos.

 

8. Não tenha nenhum medo e esteja disposto a desapontar.

 

9. Nada destaca pessoas como o desempenho.

 

10. Quando você está fazendo negócios com pessoas, isso se resume a caráter.

 

11. Meu sucesso é 100% atribuído às pessoas que me cercam. Eu me cerco de pessoas que são mais espertas que eu e de pessoas mais criativas que eu.

 

12. As coisas estão direcionadas a sempre dar errado. As pessoas cometem erros. Eu sei que cometo. O que mais importa é como você os resolve. Ouça, esteja aberto a críticas, resolva-os com rapidez e empatia, e assuma a responsabilidade.

 

13. Respeite sua mãe, respeite seu dinheiro, respeite o seu negócio. Cada um deles vai golpeá-lo se não o fizer.

 

14. As pessoas respeitam você se der pra elas  a verdade em vez de uma porrada de perfumes, e então as coisas mudam mais tarde.

 

15. Quando você apertar a mão de alguém, ele tem que dizer alguma coisa.

 

15. Cerque-se de boas pessoas.

 

17. Controle o seu dinheiro, mantenha a essência de seu negócio, e conheça seus números.

 

18. Eu sempre digo que a sua primeira perda é o seu melhor resultado. Às vezes o seu orgulho de proprietário (o meu incluído) fica no caminho da decisão certa.

 

19. No final do dia, os números não mentem.

 

20. Gosto de tendências e modismos como consumidor, mas não como um investidor .

 

21. Confundir seus clientes é uma garantia absoluta de que você vai perder dinheiro.

 

22. Os melhores acordos de negócios são quando ambas as partes chegam a um acordo se sentindo um pouco desconfortável.

 

23. Você tem que confiar em seu processo.

 

24. Se você não tiver emoção e  não tiver paixão, então você não deve entrar no negócio; porque o dinheiro é um subproduto, não o objetivo.

 

25. Em última análise, faça o que você ama. No curto prazo, faça o que tem que fazer para pagar suas contas, o que for necessário, mas viva de forma conservadora e economize para que possa criar uma oportunidade de fazer o que você ama.

 

26. Você tem que saber quando perdeu a jogada, coloque suas cartas em cima da mesa e vá embora, e compense isso na próxima mão.

 

27. Não há tempo para drama nos negócios.

 

28 - Uma empresa não está relacionada apenas a números, mas também diz respeito à natureza das pessoas.

 

-----------------------------------------------------

 

Dê uma espiada num episódio  já exibido no Brasil, Car Cash [Venda de Carros], justamente no ramo que Lemonis mais manja, venda de carros. A parada foi dura, mas o resultado muito bom... 

 

 

 

O episódio abaixo é o que mais gostei (até agora). Pete Athans, o gordão aí  quase teve um infarto ao ter que descer de cima do seu ego ao ver o seu bem montado e chamativo negócio de carros usados, a revendedora Athans, mas que dava um baita prejuízo, ser desmontado e remontado por Marcus Lemonis.  No final Pete fica feliz da vida, a concessionária ganha outro visual, Pete delega mais, e o negócio revive, e na reinauguração recebe um belo público, mesmo o dia sendo de uma bela nevasca.

 

 

 

 

Como Resolver Seus Problemas de Dinheiro

 

Um pequeno segredo, uma grande solução!

VEJA AQUI